Vovós fashionistas: elas já passaram dos 60 anos e são sensação nas redes sociais

Acessórios criativos, uso de cores fortes e visual ousado são marcas registradas de idosas que bombam nas redes sociais, principalmente no Instagram, e têm como admiradores adolescentes e jovens adultos.

Apesar de não ser a mais seguida, a designer de interiores Iris Apfel, de 95 anos, é um reconhecido ícone fashion – hoje tem 607 mil seguidores no Instagram – e expressa alegria no vestir. Sem medo de parecer exagerada nas produções multicoloridas, a nova-iorquina leva consigo um lema: “More is more, less is a bore” (“Mais é mais, menos é chato”, na tradução do inglês).

“O que mais falta no mundo são pessoas criativas, felizes e que transmitam estilo em cada peça que usam. Estamos cansados de looks grifados e posts patrocinados. É preciso vestir aquilo que nos faz bem”, observa Aline Viana, consultora de imagem e professora da Escola de Moda Denise Aguiar.

Autêntica

Sem amarras àquilo que é imposto às mulheres mais velhas quando se fala em moda, a norte-americana Baddie Winkle, de 89 anos, é sinônimo de originalidade.

A idosa, que posta looks irreverentes nas redes desde 2014 com ajuda da bisneta, foi apontada pela revista Forbes como uma das pessoas mais influentes do Instagram atualmente. Ela ostenta nada menos que 3,1 milhões de seguidores.

Prova de que ousadia e beleza não têm idade e despertam o interesse de todo mundo foi o trabalho desenvolvido pela modelo e advogada Bárbara Vanoni, de 25 anos, no curso de Produção de Moda, ministrado por Aline.

Inspirada em Baddie Winkle, Bárbara desenvolveu editorial de moda expressando a alegria que vê na celebridade do Instagram. “O estilo dela é muito criativo. A minha ideia não foi fazer uma caricatura e sim inspirar-me nela, que é uma mulher que não aceita padrões colocados pela cultura, é autêntica”, afirma a advogada, que mantém um blog de moda, o Além da Imagem.

Críticas

Apesar da autenticidade vista por Bárbara em Winkle, a “it-girl” da terceira idade amada por celebridades como as cantoras Rihanna e Miley Cyrus é, também, criticada por usar roupas curtas, barriga de fora, e ser apontada por fazer tais coisas com interesses comerciais.

No entanto, aluna e professora discordam dos críticos. “Não acredito em limites de idade para a moda. Ela tem muitos fãs justamente por ser original”, coloca Bárbara Vanoni.

Para Aline Viana, as mulheres são julgadas praticamente em todas as idades pelas roupas escolhidas. Por isso, ela acredita em uma moda em que as pessoas levem os looks menos a sério e passem a se vestir para elas mesmas e não para os outros.

“O preconceito existe naqueles que não têm informação sobre a moda como arte. A barreira só será vencida quando as pessoas se vestirem de dentro para fora, com essência e personalidade”, diz.